Economia de SC mantém desempenho acima da média

Economia de SC mantém desempenho acima da média

2020 está sendo um ano marcado por enormes desafios. Devido a pandemia do COVID-19, as pessoas tiveram que reavaliar suas rotinas e mudar comportamentos e hábitos que antes não precisavam de tantos cuidados. Com isso, todos os setores acabaram sendo afetados de alguma forma e, consequentemente, a economia brasileira passou por momentos muito difíceis. No entanto, Santa Catarina é um dos estados que mais apresenta números positivos dentro dessa perspectiva, espeicalmente o setor da construção civil.

A construção civil se encontra em recuperação

De acordo com dados da pesquisa Sondagem Indústria da Construção, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, a indústria da construção civil se encontra em recuperação. Segundo a pesquisa, houve uma enorme melhora nos índices de atividades e no número de pessoas que foram empregadas. Em uma entrevista para o Diário do Aço, o economista Gilson Renhe afirma que, com a volta progressiva dos níveis normais de consumo, a perspectiva para 2021 é que ocorra uma recuperação econômica ainda maior, com o crescimento do PIB entre 3% a 4%.

Santa Catarina mantém ótimo desempenho econômico

Além do Brasil apresentar dados mais otimistas em relação à economia em época de pandemia, o estado de Santa Catarina também possui um desempenho acima da média nacional. A edição de agosto de 2020 do Boletim de Indicadores Econômico-Fiscais de Santa Catarina, divulgado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), afirma que o PIB catarinense tem sido muito positivo. A agricultura cresceu 0,4%, a pecuária 6,8%, a fabricação de produtos alimentícios 2,5% e a construção civil, que vinha se recuperando de um longo período de retração, conseguiu atingir o crescimento de 4,1%.

A autoconstrução se intensificou no período de isolamento social, o que contribuiu para a elevação do número apresentado; mas também temos que destacar o mercado imobiliário, que tem obtido ótimos sinais de recuperação.

Entre os anos de 2002 a 2019, Santa Catarina aumentou o valor total de seu PIB anual: de R$ 54 bilhões passou para R$ 317 bilhões, segundo artigo da ND Mais. O estado também ganhou maior participação na economia nacional, com destaque para o Vale do Itajaí, que é a região que mais cresce no estado.

A construção civil no momento presente

O ano de 2020 trazia projeções promissoras para o setor da construção civil. Com a crise causada pela pandemia, muitas cidades precisaram parar e vários segmentos foram afetados. No entanto, o setor da construção civil, como foi considerado pelo governo como um serviço essencial, continuou com suas produções – seguindo, claro, as medidas de segurança e higiene da Organização Mundial de Saúde.

De acordo com o Caged, a construção civil é o único setor com saldo positivo de empregos em Santa Catarina. O índice leva em consideração o saldo de contratos de trabalho que foram assinados e encerrados entre os meses de janeiro a julho desse ano: 1.999 trabalhadores foram empregados, um número extremamente otimista em relação a situação em que estamos. Além disso, a tendência é que o setor continue investindo ainda mais, já que a demanda por imóveis tem crescido na medida em que novos projetos são anunciados.

Falta de materiais

Apesar do setor estar aquecido dentro da economia brasileira, há falta de determinados materiais e aumento dos preços de produtos para obras em determinadas regiões do país. Cimento, alumínio e vidro são alguns exemplos. Por conta do isolamento social, houve um desequilíbrio no fornecimento desses materiais, provocando a subida de preço. No entanto, a previsão para 2021 é que haja um reabastecimento maior desses produtos dentro do setor.

Como o setor da construção civil deve ficar após a pandemia?

Apesar da crescente e otimista evolução que o setor se encontra, é quase impossível não levar algum aprendizado desse momento. Muito provável que ferramentas digitais e de industrialização da cadeia produtiva tenham maior enfoque nos próximos anos. Tais medidas são o reflexo de necessidades em ocasiões não premeditadas, como a pandemia, mas também são ótimas alternativas para fazer o setor progredir e se desenvolver com mais tecnologia, estratégia e empatia.

A J. A. Russi, mais do que nunca, busca planejar e executar edifícios com ainda mais rigor e excelência, atenta às orientações da OMS, às necessidades de nossos clientes, funcionários, e claro, seguindo sempre a essência da nossa empresa.

Apesar da situação delicada em que estamos vivendo, o crescimento do setor e o aquecimento de nossa economia consolidaram o investimento imobiliário como seguro e lucrativo, mesmo em momentos de crise. Se quiser saber mais sobre investimento ou conhecer nossos produtos, clique aqui para conversar conosco.